jusbrasil.com.br
15 de Outubro de 2018

Como ser um advogado criminalista respeitado?

Canal Ciências Criminais, Estudante de Direito
há 2 anos

Como ser um advogado criminalista respeitado

Por Anderson Figueira da Roza

Muitos estudantes ansiosos para exercer a profissão de advogado criminalista se preocupam em ser conhecidos e respeitados não apenas pelos colegas, mas pela sociedade em geral.

Esta premissa é essencial para a formação da carreira do advogado criminalista, mas há que se ter muito cuidado para não cair em armadilhas que a profissão reserva.

Explicando melhor: se o profissional da advocacia criminal quer ser respeitado perante colegas, clientes e, por fim, pela sociedade, ele deve trabalhar para que isso ocorra todos os dias, cada vez que houver um pronunciamento seu.

Não estou falando de declarações na mídia algo bem frequente ao longo da carreira, de acordo com os casos de repercussão que certamente ocorrerão para os que trabalharem corretamente –.

Estou me referindo a todas as vezes que o advogado falará com um cliente, com um colega, com agentes policiais, delegados de polícia, promotores de justiça, juízes, desembargadores, etc. O advogado criminalista precisa ser ético, leal com suas ideias, firme e combativo, mas extremamente dentro dos regramentos legais.

O advogado criminalista precisa ter um filtro nas suas manifestações. Embora ele escute de tudo que possa ser de pior, ou melhor, num determinado caso, ele deve primeiro organizar suas ideias, para não se deixar cair na ansiedade de já sair falando coisas que não eram necessárias naquele momento.

A advocacia criminal é uma profissão que exige muita atenção e ponderação acima de tudo. Somos as vozes daqueles que estão sob uma acusação, e que hoje não é advinda apenas do Ministério Público, mas sim de grande parte da sociedade.

Os mais novatos muitas vezes acabam seduzidos por trabalhos nada jurídicos, como prestar auxílio em funções que clientes querem que ocorra, de forma a livrá-los mais rapidamente de uma ou outra acusação.

Vivemos num país onde a corrupção está impregnada em todos os níveis, então o advogado criminalista poderá se deparar com situações embaraçosas, onde os próprios agentes públicos pedem propina para aliviar uma acusação.

Cuidado, pessoal: tem muita gente com potencial para ter uma carreira brilhante, que acaba querendo atalhar a carreira em busca de resultados principalmente financeiros, fazendo coisas erradas.

Se você optar por esses caminhos nebulosos, sua carreira vai ser atingida mais cedo ou mais tarde, e outro advogado criminalista mais respeitado e honrado que você terá que atuar em sua defesa.

A advocacia criminal é uma profissão a ser construída com muita paciência, com muito trabalho e estudo. Não pode ser colocada em risco por interesses puramente econômicos.

Mais do que possuir um patrimônio, é saber que as pessoas que você se envolve na profissão, principalmente no Poder Judiciário, lhe respeitam pela sua integridade profissional.

Esse será o seu maior salário e reconhecimento.

Fonte: Canal Ciências Criminais

5 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Parabéns pelo excelente artigo.

O art. 133 da Constituição Federal estabelece que o advogado é indispensável para a administração da justiça, justamente porque assegura efetividade aos princípios do devido processo legal, do contraditório e da ampla defesa, previstos no art. , incisos LIV e LV, da Constituição Federal.

O art. 261 do Código de Processo Penal determina: "Nenhum acusado, ainda que ausente ou foragido, será processado ou julgado sem defensor".

O art. 21 do Código de Ética e Disciplina da OAB determina: "É direito e dever do advogado assumir a defesa criminal, sem considerar sua própria opinião sobre a culpa do acusado".

Desse modo, o Código de Ética da Ordem dos Advogados do Brasil estabelece que a defesa, no âmbito criminal, é um direito e um dever ético do advogado.

Todo cidadão, ao ser acusado de um delito, têm o incontestável direito de se defender, apresentar sua versão dos fatos, produzir suas provas e, se entender que houve erro no julgamento ou violação em seus direitos, interpor recursos às instâncias superiores para requerer o reexame das decisões.

Desse modo, o advogado criminalista representa um dos pilares fundamentais da Justiça: a DEFESA. continuar lendo

O reconhecimento que importa é só o reconhecimento próprio. O importante é fazer a melhor defesa que o cliente pode ter. Goste a sociedade ou não, goste o cliente ou não, goste o juiz ou não. Advogado criminal não pode se preocupar com a opinião dos outros. Se ele for assim sua carreira já nasceu morta. continuar lendo

Não queira cair nas graças da opinião pública quando defende e tira da prisão, por tecnicalidades, pessoas como Bruno que são culpados e, até ele mesmo já confessou. Está aplicando a lei, os coleguinhas advogados te apoiam, mas a opinião pública não. Elanão está interessada apenas na aplicação da lei, mas tb q seja feita a justiça, e as duas coisas estão cada vez mais incompatíveis. Portanto, contente-se com a aprovação dos pares, q já está bom. continuar lendo

Opinião pública é manipulável e manipulada pela mídia e outros instrumentos. Então a ética de um profissional do direito (não apenas advogado) deve ficar distante destes meios. continuar lendo

Sim, pq agradar quem acha q tecnicalidade não deveria ser razão para colocar um culpado em liberdade não será possível nunca. Fiquemos com a simpatia dos pares que dirão: verdade, ele é culpado, já confessou, mas como ainda não foi julgado no segundo grau, tá certo pô-lo em liberdade. A simpatia do público, q sente na pele o q essas manobras jurídicas causam de nefasto, nós, advogados e futuros, nunca teremos. continuar lendo