jusbrasil.com.br
3 de Julho de 2022

Os famosos assassinos em série: serial killers

Canal Ciências Criminais, Estudante de Direito
há 3 anos

Por Giuliana Venturini Labate

Mentes doentias, crimes terríveis e motivos cada vez mais complexos para matar. Como podemos identificar um serial killer? O que é serial killer? Estão entre nós?

Quando tentamos entender o que é um serial killer, é importante lembrar que não se trata especificamente de um transtorno psiquiátrico. O serial killer é um assassino que, por um meio específico e pessoal, mata uma série de pessoas cujas características se assemelham.

Serial killers, os assassinos em série

A escolha da vítima geralmente é aleatória, desde que se encaixe no perfil que tem como alvo. Sempre possuem um mesmo perfil, mulheres com a mesma cor de cabelo, mendigos, idosos, crianças, entre outras características, sempre iguais, sempre com o mesmo objeto: assim que a tem e abusa dela para obter sua gratificação ou seu prazer, descartando-a ao depois, muitas vezes assassinando-a.

Vale ressaltar que cerca de 80% dos seriais killers sofreram algum tipo de abuso durante a infância, seja físico, sexual, emocional ou mesmo abandono.

Esses homicidas têm uma assinatura e um modus operandi. O modus operandi é o modo pelo qual traça a escolha de suas vítimas e comete o assassinato.

Por exemplo, o Maníaco do Parque, famoso serial killer, dizia que era um fotógrafo de uma revista conhecida e convidava jovens para tirar fotos em um ambiente com árvores, matagais, especificamente um parque. Lá, estuprava e matava suas vítimas. Esse era seu modus operandi. Porém, nem sempre é igual, pode mudar ou sofrer adaptações, dependendo da mente do criminoso.

Diferentemente, a assinatura nunca muda. No máximo, pode deixar de ser realizada em um ou outro caso, por motivos de interrupção inesperada.

Como sabemos, psicopatia é um transtorno de personalidade, o qual o indivíduo não sente empatia pelo outro, remorso ou culpa. Seu comportamento não é diferente em situações contrárias e é marcado por uma tendência constante a tapear normas e leis já estabelecidas. Em geral, trata-se de um indivíduo que só pensa em seus interesses e nada mais.

Sendo assim, não podemos simplesmente caracterizar que todos os seriais killers são psicopatas. Muitos psicopatas podem passar a vida toda prejudicando pessoas, sem ao menos derramar uma gota de sangue.

De acordo com o neuropsicólogo Fábio Roesler, há uma infinidade de motivos que levam uma pessoa a se tornar um serial killer, mas só mesmo analisando caso a caso para saber até que ponto são dominados por impulsos psicopatas.


Leia mais sobre assassinos em série:


A punição para esse tipo de crime é a condenação por homicídio qualificado, o qual tem pena de reclusão de 12 a 30 anos, podendo ser por motivo torpe, traição, emboscada, meio cruel, entre outros, dependendo do caso.

A legislação brasileira estabelece que o indivíduo condenado permaneça em cárcere por, no máximo, 30 anos. Porém, se considerado inimputável, será aplicada uma medida de segurança, como, por exemplo, a internação em hospital psiquiátrico, ou a inclusão de uma medicação controlada até que o acusado não apresente mais sinais de que possa cometer crimes novamente, diminuindo sua periculosidade.

De acordo com o Código Penal Brasileiro, os acusados são classificados em três categorias:

  1. imputáveis, os quais têm a consciência do caráter ilícito do fato que estão praticando;
  2. semi-imputáveis, que, no momento do delito, estão sob alguma perturbação mental, não tendo a exata consciência da prática do crime; e
  3. inimputáveis, os quais não têm o menor discernimento da diferença entre o lícito e o ilícito, não podendo decidir sobre esse aspecto.

Nesse caso, os acusados têm duas hipóteses de “cárcere”: Prisão ou Hospital Psiquiátrico. Os imputáveis, geralmente são destinados a Prisão, dependendo do crime e do regime relacionado à infração cometida. Os inimputáveis para o Hospital Psiquiátrico e os semi-imputáveis? Eis a grande questão. Podem ir tanto para um quanto para outro e infelizmente quem destina isso é o juiz, o qual conhece as leis e não mente do acusado.


REFERÊNCIAS

ROESLER, Fábio. Serial Killers: conheça as mentes mais perigosas do mundo. Ed. Alto Astral. São Paulo. 2014;

BEZ, Alexandre. Serial Killers: conheça as mentes mais perigosas do mundo. Ed. Alto Astral. São Paulo. 2014.

Fonte: Canal Ciências Criminais


Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais, incluindo novos textos sobre assassinos em série?

Então, siga-nos no Facebook e no Instagram.

Disponibilizamos conteúdos diários para atualizar estudantes, juristas e atores judiciários.

Informações relacionadas

DR. ADEvogado, Administrador
Notíciashá 4 anos

Mistério: conheça os crimes que chocaram a humanidade e ainda não foram resolvidos

Canal Ciências Criminais, Estudante de Direito
Artigoshá 6 anos

Aileen Wuornos, a dama da morte

Canal Ciências Criminais, Estudante de Direito
Artigoshá 6 anos

Albert Fish, o devorador de crianças

Canal Ciências Criminais, Estudante de Direito
Artigoshá 6 anos

John Wayne Gacy, o palhaço assassino

Canal Ciências Criminais, Estudante de Direito
Artigoshá 4 anos

Modus operandi x assinatura

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)